Instituto Conhecimento Liberta apresenta:

Brasil de Verdade - Projeto Bolsa Webdocumentário

Assista o vídeo abaixo e entenda:

O que é
O que é Uma bolsa de estímulo à produção audiovisual voltada para a observação crítica da realidade brasileira. O projeto visa promover a realização de webdocumentários que investigam as questões fundamentais de nossa sociedade.
Objetivo
Objetivo O projeto fomenta a reflexão plural sobre o país com o objetivo de contribuir para a formação cidadã do povo brasileiro.
Requisitos
Requisitos Não há restrições de idade ou classe social, porém o projeto procura atender principalmente jovens de baixa renda e de regiões com carência de equipamentos culturais (cinemas, teatros, bibliotecas, galerias, salas de concerto, museus, etc).
Seleção

Entre as ideias enviadas, estão sendo selecionadas propostas das diferentes regiões do país, destacando a expressão local e promovendo a igualdade de gênero, raça e etnia. A bolsa para os escolhidos possui o valor de R$ 50 mil

Os(As) candidatos(as) estão sendo avaliados(as) pelo Conselho do ICL e sua Equipe Curatorial, conforme:

1 - A relevância temática da proposta do webdocumentário.

2 - A profundidade técnica e informativa da proposta do webdocumentário.

3 - A trajetória do(a) candidato(a) e sua participação em equipes plurais.

CONHEÇA OS PROJETOS CONTEMPLADOS

Estes são os primeiros projetos contemplados. Em breve, divulgaremos mais informações sobre outros projetos que também serão contemplados.

Projeto Selecionado 1 - “A Fronteira Brasil Guarani”

Descrição: 

A Fronteira Brasil-Guarani é um webdoc com duração de até 60 minutos. A proposta é dar voz e aproximar a luta dos Guarani Mbya e Kaiowá, povos que resistem à violência da expansão predatória do agronegócio brasileiro, entrincheirados em retomadas, acampamentos de beira de estrada, reservas e aldeias numa faixa que engloba o norte do Paraná e o sul do Mato Grosso do Sul.

Durante um mês, no segundo semestre de 2021, iremos percorrer comunidades Kaiowá e Mbya-Guarani para contar as histórias desses sobreviventes que resistem à aniquilação de seu povo e seu mundo, denunciando os responsáveis por esses crimes e fazendo um chamado à consciência do espectador.

O projeto nasce de uma colaboração entre dois cineastas indígenas, um Mbya-Guarani, o outro Kaiowá; Alexandre Werá e Genito Gomes. Genito, além de cineasta, é também líder de uma retomada perto de Amambai, na fronteira Brasil/Paraguai. A resistência, para ele, é um dado do cotidiano. Para ambos, essa é uma questão que ultrapassa o audiovisual.

Objetivos:

  • Ultrapassar a cortina de invisibilidade que isola as comunidades Kaiowá e Guarani Mbya
  • Denunciar a violência que sofrem por parte dos ruralistas e seus “seguranças”
  • Conscientizar a sociedade não indígena dessa realidade de violência
  • Denunciar os criminosos e obter registros documentais com denúncias, provas e testemunhos
  • Criar um desconforto junto à sociedade civil, capaz de romper a inércia do cinismo;
  • Juntar vozes indígenas para pressionar o Estado;
  • Auxiliar na luta para garantir direitos fundamentais dos povos indígenas

Ficha técnica:

Diretor, câmera e tradutor: Alexandre Werá e Genito Gomes
Diretora, pesquisadora, produção: John Nara Gomes
Pesquisador, produtor, montador e finalizador de imagem: Fábio Costa Menezes
Operadora de som, produção, arte, making of: Sophia Pinheiro

Projeto Selecionado 2 - “JACAREZINHO”

Descrição:

O projeto será realizado em 6 meses, no segundo semestre de 2021, em diferentes favelas do RJ - Jacarezinho polo principal. Serão entrevistados moradores, lideranças de favelas, especialistas na área de segurança pública, direitos humanos, saúde mental e lives com lideranças de favela e encontros virtuais da equipe do Portal Favelas. Serão entrevistados também pessoas indígenas e camponesas em regiões afastadas do país.

O documentário pretende qualificar a equipe de jornalistas de mídia popular, enquanto há a produção do filme, apresentando fatos relevantes da violência praticada pelo Estado, sensibilizando o espectador para o sofrimento da população negra e pobre, fazendo frente à cobertura perversa e racista da mídia.

A atuação vai acontecer em parceria com o Lab Jac (pesquisadores de dados) e Portal das Favelas, constituído por lideranças políticas integradas e outros meios de comunicação popular, em articulação também com associações de moradores, militantes e pesquisadores da UFRJ.

Os coletivos devem realizar a escrita do roteiro, farão levantamento de dados sobre as chacinas, o estudo histórico e político sobre as relações de colonialidade, partindo do Jacarezinho. A seleção de notícias será feita pela equipe de jornalistas e técnicos, e faremos também incursões pelas favelas, entrevistando familiares de vítimas, lideranças, juristas e advogados.

Objetivos:

  • Politizar e visibilizar as regiões de periferia no debate sobre o extermínio do povo negro e periférico no Brasil;
  • Mostrar para o grande público como a população do Jacarezinho e outras favelas conflagradas enfrentam graves consequências da violência do Estado;
  • Retratar também a manipulação e protagonismo das mídias convencionais brasileiros, criminalizando a população pobre;
  • Combater a sustentação de uma narrativa de guerra às drogas, ódio aos negros, que serve para encobrir a verdade sobre os motivos reais que movem o interesse estatal;
  • Agir na formação de equipes de jornalismo de favela e comunicadores populares;
  • Qualificação audiovisual, levantamento de dados e tratamentos de notícias.

Ficha técnica:

Coordenação geral, jornalista de favela e desenvolvedor da ideia geral: Antonio Carlos Ferreira Gabriel (Rumba)
Co-coordenação do projeto, consultoria na área de saúde mental e violência de estado, assessoria da equipe de produção, roteiro e montagem do filme: Mariana Mollica da Costa Ribeiro Araujo
Produção: Maria de Fatima Lima
Roteiro e pesquisa em segurança pública: Thiago Alves do Nascimento
Jornalista, editor: Xico Teixeira
Comunicadora Popular: Iracema
Técnico em Design: Maysa Gloria Torquato Bispo
Roteiro, direção e comunicação: Bruno Sousa

Projeto Selecionado 3 -  “Ocupar, Resistir e Construir”

Descrição:

Em Belo Horizonte, a última década foi marcada pelo surgimento de dezenas de Ocupações Urbanas. Hoje são mais de 120 comunidades, garantindo casa para cerca de 30 mil famílias. O filme “Ocupar, Resistir e Construir” propõe uma abordagem histórica dos últimos 10 anos de luta por moradia na capital mineira, articulando-as com aspectos da conjuntura nacional - como a realização dos megaeventos, golpe de 2016 e eleições de 2018. Sua realização está prevista para iniciar em novembro de 2021.

Partindo das experiências que acompanhamos de perto em Belo Horizonte nos últimos anos, e dialogando com dimensões fundamentais que atravessam cidades de todo o Brasil, essa proposta surge da importância de disputar as memórias dos processos populares de construção das cidades - negadas pela mídia e os narradores da "história oficial”. Será elaborado coletivamente por pessoas da comissão de comunicação do Movimento de Luta nos Bairros, Vila das Favelas - MLB (uma equipe plural composta por moradores de Ocupação, cineastas, urbanistas e estudantes).

Objetivos:

  • Contribuir de diferentes maneiras com as Ocupações Urbanas;
  • Agir na inserção profissional de jovens periféricos na atividade audiovisual;
  • Fomentar atividades de pesquisa, ampliação e sistematização de arquivos audiovisuais;
  • Consolidação de narrativas históricas e políticas dos territórios;
  • Disputa de narrativas sobre o modo de produção das cidades;
  • Ampliar o alcance da pauta das ocupações urbanas;
  • Difundir reflexões sobre a política brasileira contemporânea e sua relação com lutas territoriais;

Ficha técnica:

Diretor, Roteirista e Diretor de Fotografia: Edinho Vieira
Diretor, Roteirista, Produtor Executivo e apoio à pesquisa de imagens e acervo: Aiano Bemfica
Diretor, Roteirista, Montador e apoio à pesquisa de imagens e acervo: Cris Araújo
Coordenação de Pesquisa e Roteirista: Maria Soalheiro
Coordenação de Acervo e Roteirista: Letícia Notini
Produtor e Produtor Executivo: Pedro Stauffer
Consultoria em Direção de Fotografia e Finalização de imagem e cor: Alice Andrade Drummond
Captação e Finalização de Som: Marcela Santos
Assistente de pesquisa e Assistente de Câmera: Sthefany de Paula
Assistente de acervo e de montagem: Vaga a definir

Projeto Selecionado 4 - “Mutirão: O Filme”

Descrição:

“Mutirão: O Filme” é um documentário que acompanha a história de alguns militantes da época em que o bairro da Cohab Adventista foi construído e como estão hoje em dia. Em sua maioria, as moradias do bairro foram levantadas através de mutirões liderados por mulheres.

Através da história particular de algumas pessoas, a narrativa vai acompanhar como o espírito de luta atravessou o tempo e permanece vivo na prática de cuidado e memória da luta no território. Além da luta por moradia, o bairro também é conhecido pela sua luta pelo meio ambiente e o consumo saudável dentro das favelas e periferias.

Serão construídos relatos  de memória das lutas neste território, para somar com as lutas em qualquer lugar. O documentário será gravado e editado na Cohab Adventista, no bairro do Capão Redondo, extremo sul de São Paulo, junto ao coletivo Astúcia Filmes.

Objetivo:

  • Fomentar a produção independente da região;
  • Construir um registro da memória da classe trabalhadora dentro do bairro;
  • Exibições em cineclubes de rua;
  • Expansão do debate para outros territórios;
  • Levar a história da Cohab Adventista para outros lugares do Brasil e do mundo;
  • Dar continuidade de um trabalho de luta reconhecido internacionalmente, mas não valorizado no Brasil.

Ficha técnica:

Direção: Lincoln Péricles
Produção: Francineide Bandeira
Roteiro: Adriano Araujo
Pesquisa: Jonnas Rosa
Mídias Sociais: Nayê Ribeiro
Fotografia: Ronaldo Dimer

Em caso de dúvidas, envie um e-mail para contato@institutoliberta.com.br